1. Início
  2. /
  3. Histórias
  4. /
  5. Cachinhos Dourados e os Três Ursos

Cachinhos Dourados e os Três Ursos

Cachinhos Dourados sobre a cama do ursinho, observada pelos três ursos.


Era uma vez três ursos: mamãe Ursa, papai Urso e o filhinho Ursinho, que moravam em um lindo bosque. Eles viviam em uma casinha, que foi construída pelo próprio papai Urso.

Nas noites frias, o papai Urso acendia a lareira e se sentava confortavelmente em sua grande poltrona, onde lia seus livros sobre grandes aventuras. Mamãe Ursa também se reunia na sala e se sentava em sua poltrona média, onde lia seus romances. Já o filhinho Ursinho, sentava-se em sua pequena poltroninha, própria para o seu tamanho, onde lia seus contos de fadas.

Nas noites mais quentes, os Três Ursos convidavam os amigos do bosque para visitá-los e faziam uma linda festa musical. A mamãe Ursa tocava piano; o papai Urso, o tambor e o pequeno Ursinho, seu pequeno violino. Os convidados adoravam as músicas tocadas pelos ursos.

Nas manhãs ensolaradas, a família de ursos gostava de fazer passeios no bosque. Nesses passeios, o Ursinho adorava aprender coisas novas, como o nome dos animais e das mais belas flores.

Em um lindo dia ensolarado de outono, enquanto o papai Urso varria as folhas secas no quintal, mamãe Ursa preparava um delicioso mingau para o café da manhã.

— Mamãe, preciso de ajuda para me aprontar para o passeio que faremos pelo bosque! – o pequeno Ursinho chamou sua mãe lá do seu quarto.

— Filhinho, a mamãe está ocupada, estou preparando o mingau para o café da manhã. Peça ao seu pai!

E assim, o pequeno Ursinho chamou pelo seu pai:

— Papai, venha até aqui, por favor! Preciso de ajuda para me vestir.

— Estou ocupado recolhendo as folhas secas que caíram no quintal. Peça à sua mãe! – falou o papai Urso.

— Mamãe, papai não quer me ajudar! – reclamou o pequeno Ursinho.

— Ora, se vocês não colaborarem comigo, não consigo terminar o mingau que iremos comer depois do nosso passeio! – falou mamãe Ursa, enquanto corria com as tarefas na cozinha.

E assim, o papai Urso subiu as escadas e foi até o quarto de seu filhinho para ajudá-lo a se vestir. Lá na cozinha, mamãe Ursa despejou o mingau, que havia acabado de preparar, em cada tigelinha para esfriar, enquanto faziam o passeio pelo bosque.

Enquanto os Três Ursos passeavam pelo bosque, uma menina de cabelos dourados, cacheados, também passeava pelo bosque, quando encontrou uma linda casinha. Curiosa, resolveu dar uma espiada. Olhou em volta da casa e não viu ninguém por lá. Espiou pela fresta da janela e avistou três tigelinhas em cima da mesa ainda quentes, pois a fumaça subia pelo ambiente. Naquele momento, a fome bateu forte e ela resolveu entrar de mansinho.

TRAC TRAC TRAC...

A porta rangeu no momento em que ela a empurrou.

— Hum... Que cheirinho delicioso! – falou a menina de cachinhos dourados assim que entrou na cozinha.

Ela achou as cadeiras da mesa muito interessantes, pois cada uma era de um tamanho. Como era muito curiosa, resolveu experimentar cadeira por cadeira. Sentou-se na primeira cadeira, que era mais alta e espaçosa.

— Aiii! Que cadeira mais dura! – falou a menina enquanto se sentava na cadeira do papai Urso e aproveitava para experimentar o mingau que estava naquele tigelão.

— Aiii! Queimei minha boca! – o mingau estava muito quente.

Ela se levantou e sentou-se na próxima cadeira para experimentá-la.

— Nossa! Que cadeira macia demais! – ela falou enquanto observava a cadeira mediana, a cadeira da mamãe Ursa.

Em seguida, experimentou o mingau da tigela mediana.

— Nossa! Que mingau frio!

E assim, a menina de cachinhos dourados resolveu experimentar a última cadeira.

— Oba! Essa cadeirinha não é muito grande, nem muito pequena. É própria para o meu tamanho. – a menina falou animada, sentando-se confortavelmente na cadeira.

— Hum... Este mingau está delicioso! – falou enquanto saboreava o mingau que estava servido numa tigela nem muito grande, nem muito pequena.

TRAC TRAC TRAC...

A menina escutou um pequeno estralo. A perna da cadeira do pequeno Ursinho não suportou o seu peso e se quebrou, derrubando a menina ao chão.

Assustada e, ao mesmo tempo, satisfeita com a comida, a menina resolveu subir as escadas e verificar o que havia no andar de cima. Assim que terminou as escadas, encontrou uma porta e resolveu abri-la. Ali era o quarto onde os Três Ursos dormiam. Havia três camas. Como havia caminhado bastante pelo bosque, a menina estava muito cansada. Resolveu experimentar as três camas para escolher uma para descansar.

— Ai! Que cama dura! – reclamou a menina, enquanto experimentava a cama do papai Urso, grande e espaçosa.

Levantou-se e experimentou a cama mediana, a cama da mamãe Ursa.

— Nossa! Que maciez exagerada!

E por fim, deitou-se na última cama que não era nem muito grande, nem muito pequena. Era própria para o seu tamanho e também confortável. A menina gostou tanto da cama que acabou dormindo ali mesmo.

Ali perto, os Três Ursos já haviam feito o passeio matinal e voltavam para casa, famintos, pensando no mingau que haviam deixado em cima da mesa para esfriar.

— Quem deixou a porta aberta? – perguntou papai Urso.

— Você! Quem foi que saiu por último? – falou mamãe Ursa.

— Vamos entrar! – sugeriu o pequeno Ursinho.

— Tenham cuidado! Pode ter alguém aqui. – falou papai Urso.

Os Três Ursos entraram e caminharam pela cozinha, observando o ambiente.

— Hum... Alguém sentou na minha cadeira! – falou papai Urso.

— Alguém também sentou na minha cadeira! – falou mamãe Ursa.

— Alguém também sentou na minha cadeirinha e a quebrou em pedaços. – choramingou o Ursinho.

— Hum... Alguém provou o meu mingau! – falou papai Urso.

— Alguém também provou o meu mingau! – falou mamãe Ursa.

— Alguém também provou o meu mingau, comeu tudo e até lambeu a tigela. – choramingou o Ursinho, vendo que não havia mais mingau para comer.

— Vamos subir as escadas! – sugeriu papai Urso.

— Eu vou logo atrás! – falou mamãe Ursa.

— Eu vou ficar na retaguarda! – falou Ursinho.

Assim que chegaram no quarto, o papai Urso logo avistou a colcha de sua cama desarrumada e falou:

— Alguém deitou na minha cama!

— Alguém também deitou na minha cama! – falou mamãe Ursa, observando seu travesseiro desarrumado.

— Alguém também deitou na minha caminha e ainda está dormindo aqui! – exclamou o Ursinho ao ver a menina de cachinhos dourados descansando em sua cama.

— Ohhh! – exclamaram mamãe Ursa e papai Urso surpresos com a presença da menina, que acordou em seguida, assustada.

Os Três Ursos a olhavam curiosos.

— Oh! Quem são vocês? – perguntou a menina, assustada.

— Somos os Três Ursos. – respondeu a mamãe Ursa.

— Donos desta casa! – explicou o papai Urso com o seu vozeirão.

— E eu, o Ursinho!

Envergonhada, a menina de cachinhos dourados levantou-se da cama e desceu as escadas, fugindo dali.

— Ei, espere! – pediu o Ursinho. — Não corra!

A menina olhou para trás desconfiada e parou de correr.

— Qual seu nome? – perguntou o Ursinho.

— Meu nome é Cachinhos Dourados! – respondeu a menina.

— Você não quer brincar comigo?

Cachinhos Dourados, deixando a vergonha de lado, aceitou o convite do Ursinho. No restante do dia, eles brincaram. Mamãe Ursa e papai Urso aproveitaram para explicar a ela que era muito feio entrar na casa das pessoas sem ser convidada. A menina ouviu os conselhos, pediu desculpas e prometeu nunca mais entrar na casa de desconhecidos, nem mexer nas coisas dos outros.

No final do dia, os Três Ursos levaram a menina para a casa dela, onde se encontrou com os seus pais, que a esperavam com o sorriso no rosto.

A partir daí, Cachinhos Dourados aprendeu a lição e nunca mais entrou na casa dos outros sem ser chamada, e ainda ganhou um novo amigo para brincar sempre que tivesse saudade.

FIM


Gostou dessa história? Compartilhe ou faça um comentário.


Créditos



Comentários



Essa história foi oferecida por Far Kingdoms.

Acesse nosso site para baixar histórias interativas.
https://farkingdoms.com/pt